quinta-feira, 26 de maio de 2011

Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude discute caminhada da PJ à luz das DGAE



Dialogar sobre a caminhada da Pastoral da Juventude (PJ) à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE), e discutir a defesa da vida da juventude. Foi o que aconteceu em Ceilândia (DF), entre os dias 19 e 22 de maio, na reunião da Coordenação Nacional e Comissão de Assessores da Pastoral da Juventude.
De acordo com o membro da Coordenação Nacional da PJ e representante do regional Centro-Oeste da CNBB (Distrito Federal, Goiás e Tocantins) Luis Duarte, a reunião “foi um forte momento para partilha, troca de experiências, organizar e potencializar a ação evangelizadora da PJ junto às juventudes, diante do cenário eclesial existente após a 49ª Assembleia Geral da CNBB, realizada no início de maio, e de reafirmar o compromisso com a vida da juventude por meio da participação na Comissão Organizadora da 2ª Conferência Nacional de Juventude, promovida pelo Governo Federal, em dezembro de 2011.
O Plano Pastoral da PJ para os próximos seis anos vai ser encaminhado nos próximos meses, assim como subsídios visando dinamizar a participação da juventude católica nas Conferências Estaduais e Municipais de Juventude e outros materiais da Campanha Nacional contra a violência e o extermínio de jovens.
Discussões
Os jovens e assessores se debruçaram sobre diversos assuntos, entre eles: avaliação da Ampliada Nacional da PJ, ocorrida em janeiro deste ano na diocese de Imperatriz (MA); elaboração do Plano de Ação Pastoral da PJ (2011-2016) e os Projetos Nacionais da PJ; X Encontro Nacional da PJ, a ser realizado em janeiro de 2012, na Arquidiocese de Maringá (PR); Análise de conjuntura eclesial; Caminhada da PJ nos regionais; Jornada Mundial da Juventude; II Conferência Nacional de Juventude; Campanha Nacional contra a violência e o extermínio de jovens; e Projeto de Revitalização da PJ na América Latina.
A reunião contou com a presença de jovens de dezesseis Regionais da CNBB, do Secretário Nacional da PJ, Thiesco Crisóstomo; da Comissão Nacional de Assessores e ainda com participação especial do assessor nacional do Setor CEBs na CNBB, Sérgio Coutinho.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

CNBB pede esforço para conquistar um Brasil sem aborto


"Juntos, unidos num só coração, esforcemo-nos pela conquista de um Brasil sem aborto, sob a proteção de Maria que deu seu Sim à vida". Este foi o pedido da CNBB, em uma moção de apoio à Frente Parlamentar Mista contra o Aborto, divulgada nesta quinta-feira, 12, no penúltimo dia dos trabalhos da 49ª Assembleia Geral da CNBB.
Na nota, os bispos afirmam que todo o trabalho desenvolvido por esta Frente Parlamentar - composta por políticos brasileiros de vários credos e partidos - "é digno da nossa admiração e incentivo".  
Diante da grande luta em defesa da vida, a CNBB manifesta seu apoio integral "ao Projeto do Estatuto do Nascituro e a proposta de emenda à Constituição Federal (PEC), que implica a introdução no artigo 5º da seguinte frase: a inviolabilidade da vida desde a fecundação".

"Reconhecemos o valor e os objetivos dos diversos projetos do governo a favor da vida no período da gestação e da primeira infância, desde que a criança seja respeitada a partir da fecundação, e esperamos que seus resultados sejam tão expressivos quanto aos que são obtidos pelo trabalho desenvolvido, há anos, pela Pastoral da Criança no Brasil e no exterior", conclui a nota.

Juventude será representada por Dom Eduardo Pinheiro


Umas das novas Comissões Episcopais da CNBB, a da Juventude, já tem novo presidente. O escolhido foi o atual responsável pelo Setor Juventude e Bispo auxiliar de Campo Grande (MS), Dom Eduardo Pinheiro da Silva.
A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude foi desmembrada da Comissão para o Laicato. Na última quinta-feira, 5, os bispos optaram pela criação da Comissão para dar uma maior visibilidade à juventude nas várias instâncias da Conferência dos Bispos.

De acordo com Dom Eduardo, esta comissão terá como atividade principal alcançar o coração da juventude, seguindo o incentivo dos Papas João Paulo II e Bento XVI e a opção da Igreja no Brasil pela evangelização dos jovens, como indica o Documento 85 da CNBB - Evangelização da Juventude

quarta-feira, 11 de maio de 2011

8ª Jornada do C.O.R adulto

O Grupo Jovem Graças convida os país dos integrantes do grupo, para participarem da 8ª Jornada do C.O.R (Curso de Orientação Religiosa), que acontecerá nos dias 21 e 22 de Maio, das 08h ás 20h, no Colégio Nossa Senhora das Graças - Olaria.
Os pais que estiverem interessados entrar em contato com o Núcleo do mesmo, ou procurar o coordenador do Grupo Jovem Graças Bruno Moura.

segunda-feira, 9 de maio de 2011


O arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis foi eleito o novo presidente da CNBB. Com 196 votos, dom Damasceno foi eleito no segundo escrutínio. O cardeal de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer ficou em segundo lugar, com 75 votos. No primeiro escrutínio, dom Damasceno havia obtido 161 votos contra 91 de dom Odilo. Por não ter alcançado 2/3 dos votos (182), houve a necessidade do segundo escrutínio. Dom Damasceno foi secretário da CNBB por dois mandatos consecutivos (1995-1998; 1999-2003).

Na primeira votação, também receberam votos o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta (14); o arcebispo de São Luís (MA), dom José Belisário da Silva; o arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom walmor Oliveira de Azevedo; o bispo de Jundiaí (SP), dom Vicente Costa; o bispo da prelazia de São Felix (MT), dom Leonardo Steiner e o bispo de Cruz Alta (RS), dom Friederich Heimler, com um voto cada.

No segundo escrutínio, receberam votos o arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta (4) e o bispo de Santo André, dom Nelson Westrupp (1).

Amanhã as eleições continuam para vice-presidente e secretário. Eleitos os membros da Presidência, a Assembleia escolherá os 12 presidentes das Comissões Pastorais e o delegado da CNBB junto ao Conselho Episcopal da América Latina e Caribe (Celam)


Currículo de Dom Raymundo Damasceno Assis

Cardeal dom Raymundo Damasceno Assis é arcebispo de Aparecida (SP). Nasceu em 1937 na cidade mineira de Capela Nova (MG). Teve sua ordenação presbiteral em 1968, em Conselheiro Lafaiete (MG) e ordenação episcopal em 1986, em Brasília (DF).

Dom Raymundo estudou Filosofia no Seminário Maior de Mariana (MG) e Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (Itália). Dom Raymundo Damasceno foi, antes do episcopado, professor no Seminário Maior e na Universidade de Brasília (UnB) de 1976 a 1986.

Foi bispo auxiliar de Brasília, vigário geral e vigário episcopal na arquidiocese de Brasília, professor do departamento de Filosofia da UnB, Secretário Geral do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), secretário geral da IV Conferência Geral do Episcopado Latino-americano, em Santo Domingo, Secretário Geral da CNBB por dois mandatos, Delegado ao Sínodo Especial para a África, Sínodo sobre a vida religiosa, como convidado, Delegado à Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a América por eleição da Assembleia da CNBB e confirmado pelo papa João Paulo II, membro do Pontifício Conselho para as Comunicações, membro do Departamento de Comunicação do CELAM, membro da Comissão para a Comunicação, Educação e Cultura da CNBB, Delegado do CELAM, Presidente do CELAM, membro da Pontifícia Comissão para a América Latina – CAL e sínodo para a África (2009).
Fonte: CNBB

sexta-feira, 6 de maio de 2011

49ª AG: “As catástrofes continuam e sem ações o problema persiste”, disse dom Edney Gouvêa

O bispo de Nova Friburgo (RJ), dom Edney coletivadeimprensa49ag2, presidiu a missa na parte da manhã, no Santuário Nacional. Na homilia, ele lembrou as catástrofes naturais ocorridas no Brasil, no início do ano. À tarde, durante a coletiva com a imprensa, dom Edney pediu para que a população e o Governo não se esqueçam das regiões que foram atingidas pelas tragédias.
O bispo friburguense destacou o trabalho de protagonismo da Igreja de apoio material e espiritual às vítimas, que contou com a força de quase mil voluntários. “Nós já vivemos o luto suficiente. Agora, é preciso recomeçar e a sociedade cobra para que os governantes façam a sua parte”, declarou, ao cobrar soluções do poder público não só na região serrana, mas em várias outras regiões.
Dom Edney começou a coletiva agradecendo o trabalho da imprensa em divulgar e informar a sociedade do ocorrido em Nova Friburgo. Segundo o bispo, somente as imagens do ocorrido puderam demonstrar a magnitude da catástrofe natural que sofreu aquela região do estado do Rio de Janeiro. “Somente em Nova Friburgo (RJ) foram aproximadamente 500 mortos e dezenas de desaparecidos”, disse o bispo.
Dom Edney explicou que as tragédias em Nova Friburgo ocorreram por consequência de vários fatores. “Não havia como prever um fato como o que acometeu o estado. Ações provocadas por esses desequilíbrios da natureza tendem a aumentar. É preciso realizar ações macro para que não tenhamos que lamentar tantos desastres. Controlar as ações da natureza é difícil”, ressaltou dom Edney.
O bispo lembrou ainda que em sua região há pelo menos 200 encostas com risco de desabamento, e pediu para que a ação do Estado comece o mais rápido possível para evitar futuros desastres. “Chega de tanto desastre, chega de tantas mortes”.
União homoafetiva
Coletivadeimprensa49agPerguntados sobre o julgamento da união homoafetiva que acontece no Supremo Tribunal Federal (STF) desde ontem, 4, em Brasília, o porta-voz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a 49ª AG, dom Orani João Tempesta, e os três bispos que concederam a coletiva de imprensa responderam aos jornalistas com a posição da Igreja sobre o tema. Dom Orani, porém, frisou que a discussão não é assunto da Assembleia Geral.
Para dom Orani, “A Igreja sempre defendeu e defenderá os direitos das pessoas. É contra qualquer exclusão, sempre combateu todas as formas de exclusões, luta pelos oprimidos e quer levar a vida para todos”.
O bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG), dom Joaquim Mol Guimarães, disse que é justo quando se concede aos casais homoafetivos os direitos econômicos, repartição de bens, mas ressaltou que a preocupação da Igreja é com a entidade família.
“Penso que se pontua muito bem quando se fala de direitos econômicos, repartição de bens aos casais homoafetivos. Tudo isso tem que ser feito mesmo quando as pessoas estão conjuntamente empenhadas, mas a grande preocupação da Igreja e de muitas outras pessoas e instituições é exatamente com a base da família. Penso que esse é o grande pano de fundo do julgamento que está se dando, agora, no Supremo”.
Dom Edney Gouvêa Mattoso, bispo de Nova Friburgo (RJ) disse que é preciso para a diferença entre união civil e casamento. “Uma coisa é união civil, outra coisa é casamento”. Ainda segundo ele, “o direito de duas pessoas que conviveram e constituíram patrimônio, herdar, eu penso que é consenso, mas não se deve chamar a essa união casamento”.
“Nós sempre defenderemos a união sacramental da família: ‘os dois formarão uma só carne e o que Deus uniu o homem não separa”’, completou o arcebispo de Maringá (PR), dom Anuar Battisti.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

49ª AG: Assembleia aprova criação da Comissão para a Juventude


Os bispos que participam da 49ª Assembleia da CNBB acabam de aprovar a criação de uma Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude. Com a decisão, os assuntos de juventude que eram tratos num dos Setores da Comissão para o Laicato ficam sob a responsabilidade da nova Comissão.
A proposta de uma Comissão exclusiva para a Juventude foi um pedido dos bispos referenciais da Juventude nos 17 regionais da CNBB e defendida na Assembleia pelo bispo auxiliar de Campo Grande (MS), dom Eduardo Pinheiro, atual responsável pelo Setor Juventude da CNBB.
Um dos principais argumentos usados por dom Eduardo foi a opção da Igreja no Brasil pela urgente evangelização da juventude, expressa no Documento 85 da CNBB “Evangelização da Juventude”.

49ª AG: Bispos rezam pelas vítimas das catástrofes ocorridas no país


Os participantes da 49ª Assembleia Geral da CNBB rezaram, na missa desta quinta-feira, 5, pelas vítimas das catástrofes naturais ocorridas em várias regiões do país neste ano. Dom Edney Gouvêa Mattoso, bispo de Nova Friburgo, uma das cidades mais castigadas na região serrana do Rio de Janeiro, presidiu a celebração no Santuário Nacional de Aparecida, em Aparecida (SP).
Dom Edney destacou, nos textos litúrgicos, a coragem de Pedro ao afirmar a necessidade de “obedecer a Deus antes que aos homens”. “A voz do apóstolo, com o colégio apostólico reunido, torna-se a voz da Igreja e do Espírito Santo”, disse.
O bispo lembrou os desequilíbrios da ordem natural e destacou o papel da Igreja de denunciar o pecado “na sua dimensão pessoal e social” e anunciar “a redenção em Cristo de toda a ordem criada”.
49ag_domedneyPara dom Edney, as catástrofes, como a ocorrida na região serrana do Rio, são causadas “pela impetuosidade indômita da natureza, em parte, agravada pelas omissões e irresponsabilidade daqueles que deveriam ter presente a tutela do bem comum e, apesar disso, por interesses escusos permitem construções em áreas que são naturalmente de risco”.
“Faz parte de nossa missão de pastores do rebanho que nos foi confiado estar com os infelizes e ser sua voz que grita a Deus, não com critérios da terra pura e simplesmente, como assistentes sociais ou ativistas políticos”, sublinhou dom Edney.
Segundo o bispo, ao lado de iniciativas emergenciais de socorro às vítimas deve estar presente “o compromisso evangélico do anúncio da vida e a denúncia profética das injustiças, fraudes e verdadeiros crimes contra a humanidade e a criação”.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Terço em Familia

O Grupo Jovem Graças neste mês de maio está rezando o terço nas casas das familias de segunda a sexta, saindo sempre as 19H em frente a Paróquia de Nossa Senhora das Graças.
Venha participar conosco dessa devoção tão especial a Nossa Senhora.

Ocorreu um erro neste gadget

Videos

Loading...

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes